Blog do Flávio Pereira da Cérebro & Comunicação
Celulares 8525-1140 9228-5754 8739-1797 9768-2049

Oratória & Improviso

Publicado em Oratória & Comunicação

Veja os Comentários

publicspeakingimage-fullFalar de improviso é definido como a fala inspirada na própria ocasião. Rigorosamente a fala de improviso não existe porque não pressupõe a falta de conhecimento. Você só pode falar bem sobre um assunto, conhecendo-o previamente. O que se chama “falar de improviso”, se baseia em conhecimento antecipado, embora o orador não tenha necessariamente organizado um esboço para falar naquele momento, mas tenha na memória o conhecimento sobre o assunto sobre o qual irá falar. Se você pretende falar de improviso e ser admirado, deverá ter boa formação cultural, conhecimentos gerais, estar atualizado e ter experiência pessoal em falar em público.

Cuidado com a ilusão de que aquele fulano fala de improviso por inspiração divina ou talento inato. Pesquise sobre a vida dele e verá quanto leu, estudou e falou em público para chegar no ponto que está. Existe o improvisador que dispara falando sem a menor experiência e conhecimento. Fala muito e diz pouco. É visto como pessoa cara de pau, que quer aparecer, tolo, presunçoso ou ignorante. O improvisador de respeito está preparado mentalmente, só não está amarrado a um texto. Por isto a sua fala é espontânea e brota da alma.

O improviso é o discurso proferido com base numa preparação prévia, mas dando a aparência de não ter sido preparado.

Os oradores profissionais têm um segredo: não improvisam nada. Antes de falarem qualquer coisa já meditaram muito. Demóstenes, o maior orador da Antigüidade, afirmou que preparava seus discursos de improviso.

REGRAS GERAIS PARA FALAR DE IMPROVISO

1. Esteja mentalmente preparado para o inesperado.

Pergunte-se: o que diria se fosse convidado a falar? Por quanto tempo poderia falar? O assunto estaria estruturado de forma coerente na minha mente? Como diria?

2. Mantenha-se atualizado. Leia regularmente jornais, revistas e livros da sua área de interesse. Assista aos noticiários da TV. Saiba o que sua empresa está fazendo. Memorize só o que há de mais importante. Faça relações dos temas com suas futuras falas. Crie um arquivo de recortes de jornais e revistas para pesquisas.

3. Pratique a fala de improviso. Quanto mais você se familiarizar com seu tema, mais fluente e seguramente suas palavras serão pronunciadas. Comece com discursos bem curtos. Pratique sua fala de improviso nas reuniões de trabalho. Depois vá liberando sua mente e criatividade para proferir discursos mais consistentes.

4. Memorize os pontos-chave da palestra: abertura, preparação, frase de impacto, apoios principais, transições importantes, refutações prováveis, conclusão. Memorizando estes pontos, você se sentirá mais seguro. Não os deixe por conta da inspiração.

5. Tenha vários tópicos preparados para apresentá-los “de improviso”. Você poderá selecionar os mais apropriados para a ocasião. Também poderá deixar preparado pequenos discursos e adaptá-los para cada ocasião, como discursos de homenagens.

Texto extraído da apostila do nosso curso de Oratória.

 

Veja também curso de oratória em CDs.

 

Veja outros artigos sobre Oratória & Comunicação.

 

Um abraço,

 

Flávio Pereira

Mais Opções:

Imprima este artigo (Versão para impressão amigável) Assine nosso RSS Palavras-chave: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comente este texto!






Voltar para o Topo