Blog do Flávio Pereira da Cérebro & Comunicação
Celulares 8525-1140 9228-5754 8739-1797 9768-2049

Memorização & Métodos

Publicado em Leitura Dinâmica & Memorização

Veja os Comentários

fot20080722185924Muitas pessoas se acham “burras” na hora de estudar porque não assimilam a matéria. Elas não conhecem técnicas de estudo e de memorização então se subestimam.
Os métodos que apresentaremos a seguir ajudarão na aprendizagem e na memorização.
Use os métodos que mais se adaptarem a você, isolados ou vários ao mesmo tempo.
Boa parte dos métodos, por serem semelhantes ou estarem interligados, permitem serem trabalhados um ajudando o outro. Entenda “método” as técnicas, princípios, regras e leis que facilitam a aprendizagem.

1. Princípio das relações. Memorizar não é simplesmente armazenar informações. É estabelecer comparações, encontrar relações, buscar semelhanças, fazer associações entre os elementos em estudo. Entendendo as relações memorizamos a mensagem. Os elementos fazem parte de um sistema e o nosso cérebro faz o papel de integrador.

2. Princípio da aprendizagem ativa. Tomar parte mais ativa na aprendizagem, ajuda a lembrar melhor a matéria. Quando você procura relações, tem um papel mais ativo na retenção. Às vezes nos deparamos com conceitos sem aparente ligação. Examine cada parte do seu texto ( = seja mais ativo ) e procure relações entre elas.

3. Lei da organização. Quanto mais organizada a mensagem, maior será a retenção. A memória não acumula dados de qualquer maneira. Ela efetua, sem percebermos, um trabalho de organização. O cérebro opera uma organização inconsciente. Podemos ajudar a memória organizando a informação de modo consciente fazendo esquemas o que implica em comparar, selecionar, classificar, ordenar, associar, esquematizar.

4. Princípio da organização pessoal: a melhor maneira de você conseguir qualquer coisa é organizando sua vida. Organizar é  planejar ( = fazer o plano ) e  preparar ( = arrumar com antecedência os elementos) para atingir com eficácia seus objetivos. Antes de estudar organize todo o material de estudo, o tempo, o ambiente, etc. Uma pessoa desorganizada chega fácil ao estresse que é o maior inimigo da memória.

5. Método da seleção. Filtre seu material. Grande quantidade de dados dificulta as comparações e a seleção. Não entulhe sua mente com grandes quantidades de informação. Uma boa memória é como uma rede que retém os peixes grandes e deixa escapar os pequenos. Selecionando os pontos mais importantes terá uma mensagem mais objetiva e ficará mais fácil transmiti-la. Aprenda a resumir.

6. Método da marcação de textos. Saliente as partes principais do texto com canetas coloridas. Facilita a assimilação. Ajuda a reencontrar com rapidez a parte desejada. Algo que se destaca do meio é melhor lembrado do que algo que se confunde com ele. Ao destacar algo você impressiona mais a memória visual. Também facilita o re-estudo (revisões).

7. Método da classificação (método dos tópicos). Divida seu tema em tópicos de modo a classificá-los. Classificar idéias é importante para a memorização. Pegue uma folha de papel, coloque-a na horizontal, faça divisões em colunas. Uma para cada tópico. Anote as idéias núcleos à medida que estuda. Decompor um assunto em colunas ajuda a identificar relações, fazer comparações.

8. Lei da associação: nossa memória usa a associação de modo espontâneo, inconsciente. Não nos apercebemos disto. Associar é vincular uma informação a uma outra já armazenada. A associação facilita a lembrança. As associações podem ser lógicas ou ilógicas.

9. Associações naturais. A associação de idéias é um fato básico da mente. Explica como uma idéia ocorre em função de outra. Tire proveito de todas as associações de idéias, a fim de melhorar sua capacidade de memorizar. Conceitos que estão necessariamente associados: Semelhança (branco lembra paz) e oposição (quente lembra frio). Causa e efeito. Meios e fins. Premissas e conclusões. Relação no espaço e tempo. Suponha que alguém lhe dê uma carta para colocar no correio. Para se lembrar da tarefa associe a carta à idéia da primeira caixa de correio que tiver de encontrar. Quando isto ocorrer, irá se lembrar de postar a carta. A vista da caixa de correio avivará sua memória. Quanto mais conexões pudermos estabelecer entre a informação a memorizar e a que nos é familiar, maior é a retenção. Se uma informação não é familiar busque uma semelhante ou sinônima para facilitar a associação.   Associe imagens e idéias ao tópico que deseja gravar. Procure visualizar o que lê, formando quadros mentais. Imagine ver pessoas, objetos; “ouça” os sons e vozes, “cheire” os odores, sinta o sabor de alimentos e bebidas, etc. Coloque-se no cenário descrito. Faça analogias, descubra semelhanças entre as idéias que deseja fixar. Semelhanças aprofundam as impressões e reforçam a memória. Estabeleça associações especiais entre seu assunto e circunstâncias ligadas a ele. Pormenores marcantes, pessoas, objetos, monumentos, locais específicos ajudam a estabelecer associações. Pessoas sugerem lugares, lugares sugerem pessoas. Citações trazem à mente o nome do autor e este à sua obra. Os conceitos formam uma espécie de rede mental que deve ser explorada. Idéias principais se fundem com secundárias, umas sugerindo outras.

Texto extraído da apostila do nosso curso de Memorização.

 

Veja também curso de Memorização em CDs

 

Veja outros artigos sobre aprendizagem, leitura dinâmica e memorização.

 

Um abraço

 

Flávio Pereira

Mais Opções:

Imprima este artigo (Versão para impressão amigável) Assine nosso RSS Palavras-chave: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

3 Comentários | Comente!

  • 1

    odilia | 08/04/2009 às 20:54

    Gostaria de receber mais informação sobre memorização e métodos.

    Atentamente
    odilia

  • 2

    MARCELLO IPANEMA | 26/06/2009 às 14:04

    muito bom adorei,.>!

  • 3

    justiniano alves dos santos | 30/09/2009 às 15:03

    muito bom o texto,

Comente este texto!






Voltar para o Topo