Blog do Flávio Pereira da Cérebro & Comunicação
Celulares 8525-1140 9228-5754 8739-1797 9768-2049

Memória & Estresse

Publicado em Leitura Dinâmica & Memorização

Veja os Comentários

indice_estresseMEMÓRIA & ESTRESSE

A eficácia da memória depende do estado físico e emocional. O que é o estresse? É uma resposta do organismo e da mente às situações. Mesmo em situações positivas como receber boas notícias o estresse pode surgir.  Os sintomas do estresse surgem quando não há adaptação a estas situações. Vivemos numa sociedade que provoca microestresses devido ao trânsito, exigências, mudanças, muita informação, desemprego, inseguranças, violência, crises e competição. A somatória desses fatores pode deixá-lo em situação de estresse contínuo que pode desencadear doenças. Há dois tipos de estresse: 1) Estresse agudo: causado por eventos momentâneos como acidentes, crises e crimes.  2) Estresse contínuo: causado por pressões em relacionamentos afetivos, trabalho ou estudo. Uma pessoa estressada tem seu rendimento físico e mental prejudicado.  O estresse nos faz desenvolver certos comportamentos porque precisamos nos defender. Os comportamentos ajudam a diminuir a ansiedade.
Para controlar a ansiedade você pode fumar, desenvolver agressividade, ou ainda pode se tornar tímida, fechando-se para o mundo. Você pode desenvolver diversos comportamentos de defesa ao mesmo tempo.
As origens do estresse são diversas e às vezes é difícil saber o que é causa ou efeito.
Veja a seguir alguns sinais que podem indicar se você está estressado.

Memória fraca.
Falta de concentração.
Cansaço constante.
Tensão física e mental.
Falta de motivação para estudar ou trabalhar.
Preguiça.
Auto – estima baixa ou falta de autoconfiança.
Preocupações excessivas.
Sonolência, insônia, sono ruim ou excesso de sono.
Ansiedade excessiva.
Convivência difícil com familiares ou outras pessoas
Comparar-se com os outros. Ex.: achar que é menos capaz.
Pensamentos negativos: “não vai dar certo”, “comigo sempre dá errado”, “a vida é ruim”.
Retraimento, inibição, solidão, insociabilidade, sentimentos de rejeição.
Queda de interesse por si mesmo, pelos outros ou pelas coisas em geral.
Não se sentir bem com pessoas em volta.
Pena de si mesmo; fazer-se de vítima.
Desejar que a vida fosse bem diferente.
Ver defeito em tudo. Viver culpando os outros.
Pensamentos fixos de ter uma vida ideal, perfeita.
Sentir-se deslocado ou “diferente”.
Vícios: álcool, cigarro, drogas, jogos.
Mau humor, dificuldade para rir, variações de humor.
Precipitar-se em julgar os outros.
Nervosismo, irritabilidade, discussões freqüentes, “pavio curto”.
Fugir, omitir-se, evadir-se. Não enfrentar situações difíceis.
Intolerância, impaciência, no trânsito e em outras situações.
Fobias: medo de altura, lugares fechados, social, etc.
Busca de superstições, crendices ou fantasias.
Pensamentos fixos: fracassos, morte, tragédias, doença, roubo, demissão.
Agressividade, prepotência.
Depressão.
Desconfiança excessiva.
Uso de tranqüilizantes, antidepressivos ou estimulantes.
Fuga geográfica: mudar freqüentemente de lugar de trabalho ou residência.
Raiva, ódio, mágoas, ressentimentos, inveja.
Manias, bizarrices, hábitos estranhos.
Medos injustificados: ficar doente, perder alguém, ser abandonado, sofrer um acidente.
Sentir-se perseguido, ameaçado ou menosprezado.
Possessividade, ganância, egoísmo.
Alienação: dependência de idéias alheias, religiosas ou políticas.
Hipersensilidade emotiva: chorar com facilidade.
Apetite irregular; perda ou ganho de peso.
Auto-sacrifícios. Ex.: sacrificar o lazer e o bem viver em prol de muito trabalho.
Doenças psicossomáticas: pele, aparelho digestivo, pressão sangüínea, coração, etc.
Desiste fácil dos objetivos.
Dificuldade para relacionar-se com as pessoas.

Faça coisas boas para o corpo e a mente e controle o estresse!

Pintar, modelagem, ioga, meditação, caminhar.
Pratique esportes, ande de bicicleta.
Organize suas atividades. Muita gente fica estressada porque não sabe gerir o tempo.
Otimismo! Não deprecie a si próprio e nem aos outros
Evite escutar músicas ou assistir filmes que façam você ter pensamentos ruins.
Faça psicoterapia ou procure aconselhamento.
Faça massagens.
Modifique seu estilo de vida.
Reserve períodos da semana para o lazer.
Faça pequenas pausas durante o trabalho ou jornadas de estudo.
Evite tentar ser perfeito em tudo. Faça o melhor possível apenas em algumas áreas da sua vida.
Aceite que às vezes poderá ficar com a autoconfiança abalada, mas por um momento.
Reflita uma meia hora sobre o fracasso que teve e depois deixe no passado.
Evite culpar os outros por sua falta de autoconfiança. Você é responsável pela sua vida.
Concentre-se nos seus pontos positivos em vez de se fixar nos negativos.
Desenvolva o bom humor, aprendendo a contar piadas e casos engraçados.
Seja capaz de rir do seu próprio fracasso e ver a experiência de uma forma engraçada.
Vá a palestras. Escolhas temas interessantes para motivar-se.
Leia livros que o ajudem a elevar a auto-estima.

Evite o estresse  fazendo cursos de programação neurolingüística.

Veja o que uma pessoa estressada é capaz de fazer!

(Either JavaScript is not active or you are using an old version of Adobe Flash Player. Please install the newest Flash Player.)

Um abraço,

Flávio Pereira

Mais Opções:

Imprima este artigo (Versão para impressão amigável) Assine nosso RSS Palavras-chave: , , ,

Comente este texto!






Voltar para o Topo